Nossa missão é

ESCLARECER CADA BRASILEIRO.


Nosso intuito é de

EVITAR OS MALES DO JOGO.


Nosso valor é

O AMOR.


Nossa ação

É REAL.


12 COISAS QUE VOCÊ DEVERIA SABER SOBRE OS JOGOS DE AZAR

12 coisas que talvez você não saiba sobre sobre jogos de azar

Os jogos de azar, proibidos no Brasil desde abril de 1946, podem voltar a ser regularizados no território nacional após pauta conduzida no Senado Federal pelo senador Ciro Nogueira (PP-PI), que autoriza o funcionamento de cassinos, bingos, além de jogos eletrônicos e jogo do bicho.

Apoiadores da causa alegam que a regularização das apostas influenciam na criação de empregos, além de causar impacto na economia do País. Porém, o que existe por trás do lucrativo mercado da jogatina, são grandes organizações criminosas desempenhando atos de corrupção, fraude, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal.

Além de envolver crimes de cunho contra a legislação brasileira, a jogatina impacta negativamente em problemas sociais, de segurança e saúde. Listamos 12 pontos que você precisa saber sobre os malefícios causados pelos jogos de azar e sobre o processo que circula no Senado Federal que busca legalizar a prática novamente no Brasil.

O que você precisa saber sobre jogos de azar

1. O mercado da jogatina é extremamente propício para a lavagem de dinheiro.

A possibilidade de uso de recursos financeiros, seja em bingos, cassino ou jogo do bicho, facilita que criminosos, na posição de clientes, possam transformar dinheiro sujo em verbas legais.

2. Além de envolver a lavagem de dinheiro, o mercado dos cassinos também favorece a crimes de Corrupção e sonegação fiscal, já que os recursos obtidos pelo jogo só favorecem a agentes públicos envolvidos diretamente com esse mercado financeiro.

3. O Brasil não tem estrutura adequada para amenizar os riscos da atividade ilegal e realizar seu efetivo controle, de acordo com alguns órgãos estatais como a COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) e Receita Federal.

4. Problemas relacionados aos jogos de azar atingem cerca de 8% a 10% da população brasileira em potencial. Parte deles já sofrem de algum tipo de patologia por conta do jogo.

5. O jogo pode facilmente mudar de uma simples brincadeira para um problema mais sério. Quando se torna um problema, ele é chamado de “Ludomania”.

6. Dentre os problemas relacionados se encontra o vicio compulsivo. Isso acontece devido a uma desordem de controle de impulso, quando os jogadores não apresentam controle psicológico no momento de realizar um jogo.

7. A atividade cerebral é a mesma da cocaína, dizem cientistas da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, que fizeram um experimento com ressonância magnética em pessoas viciadas em jogo e pessoas que utilizaram cocaína.

8. Em 1992, a Organização Mundial da Saúde (OMS) colocou o jogo compulsivo no Código Internacional de Doenças, ao lado da dependência do álcool, da cocaína e de outras drogas.

9. Com o vício, outra grande consequência diz respeito às dificuldades financeiras nas famílias envolvidas diretamente com um indivíduo viciado. Endividamento, contas atrasadas, pedidos constantes de dinheiro emprestado, roubo de objetos da casa e imóveis penhorados estão dentre os casos mais comuns com a perca de dinheiro.

10. As consequências do jogo contínuo e ininterrupto pode também ter desgastes físicos como úlceras nervosas, enxaquecas e ataques cardíacos.

11. Com os inúmeros problemas acumulados pela dificuldade financeira e desequilíbrio psicológico, surge a depressão. Em alguns casos, o suicídio vem a acontecer.

12. O jogo compulsivo é uma doença comportamental e o viciado necessita de uma intervenção rigorosa da família. Para tal, é realizado um tratamento especializado chamado de psicoterapia.

>>>> Veja a nota escrita pela Frente Parlamentar Evangélica contra os jogos de azar.



Compartilhe:




Comente:

EBOOK GRÁTIS


PARENTE VICIADO EM JOGO?
5 PASSOS PARA AJUDAR VOCÊ A IDENTIFICAR